Informações sobre o Japão

 
História e Geografia Política e Economia Cultura, Esporte e Turismo Vida         Viagem ao Japão
 

Informações Gerais

 
Nome Japão Bandeira
Capital Tóquio (35° 41'N 139° 46'E) http://www.curitiba.br.emb-japan.go.jp/imagem/hinomaru.jpg
Língua oficial Japonês
Governo Monarquia Parlamentarista
Imperador Akihito
Primeiro-ministro Shinzo Abe
Área 377.945 km²
População (Censo 2014) 127.135.773 hab. Medida oficial da bandeira
Densidade (Censo 2010) 229 hab./km² Altura: 2/3 da largura
Moeda Iene (¥ / 円) (JPY) Diâmetro do círculo: 5/3 da altura
Cód. Internet .jp  
Cód. Telefone +81 Hino Nacional
Fuso Horário   Título: 君が代 (Kimi ga Yo)
- Em relação ao Brasil +12 / +11 (durante o horário de verão) Clique AQUI para a letra do hino
- Em relação ao Meridiano de Greenwich +9  


 

História e Geografia

História

Embora acredite-se que os primeiros seres humanos viveram no arquipélago japonês há mais de 10.000 anos, a origem do povo japonês ainda permanece desconhecida. Esta cultura singular tomou forma nos anos subseqüentes, enquanto recebia influências variadas da China e da Península Coreana.
 

PRIMÓRDIOS

No Japão, o cultivo de arroz e a utilização de ferramentas metálicas começaram há pelo menos 300 anos A.C.. Um sistema de governo centralizado no Imperador se desenvolveu entre os séculos IV e VII, com a capital localizada na atual província de Nara.
 

ARISTOCRACIA

A cultura budista, fortemente influenciada pela China, floresceu no século VIII. A capital foi transferida para a atual cidade de Kyoto, onde o governo aristocrático foi exercido por um longo período. O conto de Genji, considerado o romance mais antigo do mundo, foi escrito nessa época.
 

SOCIEDADE GUERREIRA (SAMURAI)

Posteriormente, a partir do final do século XII, a classe guerreira ganhou gradualmente força e poder. Durante o xogunato Tokugawa, a capital passou a ser Edo, atual Tóquio. Essa época, no início do século XVII, foi marcada por muitos anos de disputa e troca de muitos regimes. O governo de Edo adotou a política nacional de isolamento, limitando o contato com países estrangeiros. A chegada ao Japão do Comodoro Perry, em 1853, encerrou essa política de portas fechadas.
 

PERÍODO MODERNO

A autoridade do Imperador foi restaurada com a renúncia ao poder do xogum em 1867, conhecida como a Restauração Meiji. Com o controle sobre os assuntos de Estado, o novo governo do Imperador Meiji promoveu políticas de ocidentalização, incluindo o estabelecimento de um sistema parlamentarista, a formulação de uma constituição, a reforma do sistema de governo local e um moderno sistema de ensino. A cultura ocidental foi ativamente introduzida na política de intensificação da prosperidade nacional e poderio militar.

 
Voltar ao início da página
 

Geografia

Um país sobre um arquipélago do Pacífico

O Japão é um arquipélago que formam um arco no Oceano Pacífico, à leste do continente asiático. O território é formado por quatro grandes ilhas chamadas (em ordem de tamanho) Honshu, Hokkaido, Kyushu e Shikoku, além de outras pequenas ilhas. O Oceano Pacífico situa-se ao leste, e o Mar do Japão e Mar Oriental da China o separam do continente asiático.

Em termos da latitude, o Japão situa-se aproximadamente em um meridiano equivalente com o mar Mediterrâneo e a cidade de Los Angeles. Paris e Londres têm latitudes mais setentrionais do que o extremo norte de Hokkaido.

A área total do território japonês é de cerca de 378.000 km², de maneira que equivale em tamanho com a Alemanha, Finlândia, Vietnã ou Malásia. Com relação aos EUA, sua área corresponde a 1/25, sendo inclusive menor do que o estado da Califórnia.

A linha costeira do Japão apresenta muita variedade. Em alguns lugares, como Kujukurihama, na província de Chiba, existem várias praias que se estendem ininterruptamente totalizando aproximadamente 60 km de extensão, enquanto a parte costeira da província de Nagasaki é um exemplo de uma costa cheia de penínsulas, enseadas e ilhotas (como por exemplo, o arquipélago de Goto e as ilhas de Tsushima e Iki, que pertencem à província). Também é possível encontrar zonas costeiras muito acidentadas com muitas ilhotas e falésias provocadas pela imersão da parte da antiga linha costeira e pelas mudanças ocasionadas na crosta terrestre.

Uma corrente oceânica quente, conhecida como Kuroshio (ou corrente do Japão) flui do nordeste para a parte sul do arquipélago japonês, e um braço desta corrente, conhecida como Tsushima, chega ao Mar do Japão pela parte oeste do país.

Do norte, uma corrente fria conhecida como Oyashio (ou corrente de Chisima) desce até o sul ao longo da costa oeste do Japão, e um braço dela, chamada de corrente Liman, entra no Mar do Japão pelo norte. A mistura da corrente quente com a fria ajuda a produzir uma abundância de peixe em águas próximas ao Japão.
 

Uma terra de muitos vulcões

Cerca de ¾ do território japonês é formado por montanhas. A região de Chubu no centro de Honshu é conhecida como “O teto do Japão”, e existem muitas montanhas que superam 3.000 metros de altura.

A montanha mais alta do Japão é o Monte Fuji (3.776 metros) na fronteira das províncias de Yamanashi e Shizuoka. O segundo maior pico do Japão é Kitadake na província de Yamanashi, com 3.192 metros, e o terceiro maior pico é Hotakadake, com 3.190 metros na fronteira das províncias de Nagano e Gifu.

Por estar situado no cinturão vulcânico do Pacífico, o Japão apresenta várias regiões vulcânicas – genericamente é considerado que existem 7 – desde o extremo norte ao extremo sul. Dos números totais de vulcões existentes, aproximadamente 80 estão ativos, incluindo o Monte Mihara na ilha de Izu Oshima, Monte Asama na fronteira das províncias de Nagano e Gunma e o Monte Aso na província de Kumamoto. No Japão se encontram 1/10 dos 840 vulcões ativos do mundo, porém o país corresponde a apenas 1/400 do território mundial. O Monte Fuji que atualmente se encontra em estado de inatividade desde sua última erupção em 1707, não tem possibilidade de voltar à atividade enquanto estivermos vivos.

Embora os vulcões possam causar grandes danos devido às grandes erupções, eles também contribuem para incalculáveis fontes de turismo. Áreas turísticas, como Nikko, Hakone, e a Península de Izu, por exemplo, são famosas por suas termas e um atrativo cenário de montanhas vulcânicas.

Todos estes vulcões comprovam que a crosta terrestre debaixo do Japão permanece instável e cheia de energia. Desta forma, faz com que o Japão esteja entre um dos países com grande incidência de terremotos. Todo ano acontecem cerca de 1000 terremotos fortes suficientes para serem sentidos. Em janeiro de 1995, o grande terremoto de Hashin-Awaji matou aproximadamente 6.000 pessoas, ferindo mais de 40.000 e deixando 200.000 desabrigados. Um terremoto na província de Niigata em outubro de 2004 deixou mais de 60 mortos e mais de 4.700 feridos.
 

Rios com fortes correntezas

As regiões montanhosas do Japão são favorecidas com muitos rios. A maior parte dos rios do Japão é de correntezas fortes, de maneira que suas águas chegam ao oceano pouco depois de saírem dos vales montanhosos e bacias. Um exemplo da “velocidade” dos rios é o rio Kurobe, que chega ao mar em apenas 83 km depois de sua nascente, que está situada nos Alpes Japoneses numa altitude superior a 2.900 metros.

O maior rio do Japão é o Rio Shinano, que percorre 367 km desde as montanhas da região de Chubu, atravessando a província de Niigata, até chegar ao Mar do Japão. O segundo em comprimento é o Rio Tone, que sai da planície de Kanto para o Oceano Pacífico, e o terceiro é o Rio Ishikari em Hokkaido, com 268 km.

Os numerosos rios que descem das áreas montanhosas desempenham um papel importante da formação da topografia japonesa, criando vales e bacias de diversos tamanhos, assim como deltas nos pontos em que se encontra com o mar. A maior parte das planícies do Japão são pequenas. A maior é a de Kanto, que abarca parte da província de Tochigi, Gunma, Ibaraki, Saitama, Chiba, Tóqui e Kanagawa. Outras áreas, de terreno plano, relativamente extensas são as de Echigo (província de Niigata), Ishikari (Hokkaido) e Nobi (nas províncias de Aichi e Gifu).


Voltar ao início da página
 

Clima

Uma das características do clima do Japão são as acentuadas mudanças climáticas. De norte a sul, o Japão cobre uma faixa de latitude de aproximadamente 25 graus. Durante o inverno recebe ventos estacionais da Sibéria, enquanto no verão os ventos provêem do oceano Pacífico. Apesar de sua superfície relativamente pequena, o Japão se caracteriza por quatro padrões climáticos diferentes.

Hokkaido, com um padrão subártico, tem uma temperatura média anual de 8 graus Celsius, com uma precipitação média anual de 1.150 milímetros. A parte que costeia o Oceano Pacífico, desde a região de Tohoku no norte de Honshu até Kyushu, pertencem à zona temperada, onde os verões são quentes devido à influência dos ventos que sopram do Pacífico. A parte do país voltada ao Mar do Japão tem um clima com muita chuva e neve, produzidas quando os ventos frios e úmidos do continente encontram em seu caminho os Alpes Japoneses e outras montanhas que se situam ao longo do centro do território, em uma formação similar a coluna vertebral. As ilhas do sudoeste da província de Okinawa pertencem ao clima subtropical e têm uma temperatura média anual de 22 graus, e ao mesmo tempo têm uma precipitação de 2.000 milímetros.
 

Primavera (Março, Abril e Maio)

Quando o inverno se aproxima do seu fim, os ventos frios que sopram do continente se tornam mais fracos e menos intermitentes. Neste momento a baixa pressão das massas de ar que originam da China entra no Mar do Japão; isso dá força a ventos quentes vindos do sul e que viajam até esta zona de baixa pressão desde o Oceano Pacífico. Os primeiros ventos com esta característica são chamados de Haru Ichiban. E ao mesmo tempo em que anuncia a chegada da primavera, pode também causar eventuais avalanches e, cruzando as montanhas para a parte voltada ao Mar do Japão, também são responsáveis por um clima quente e seco, podendo até provocar incêndios.

No começo da primavera começam a florescer as ameixeiras e logo em seguida os pessegueiros. Nos últimos 10 dias de março as cerejeiras tão apreciadas pelos japoneses também começam a florir.
 

Verão (Junho, Julho e Agosto)

Antes de chegar o clima típico do verão, o Japão atravessa por uma temporada úmida e chuvosa conhecida como Tsuyu (Monções). Desde maio até julho, existe uma massa fria de altas pressões do mar de Ojotsk ao norte do Japão, enquanto que sobre o Oceano Pacífico se desenvolve uma massa de ar quente e úmida.

Ao longo da linha onde essas massas de ares, quente e fria, se encontram, conhecida como Baiu Zensen ou “Frente da Estação das Chuvas”, se desenvolvem zonas de baixa pressão e ar quente. Portanto o Baiu Zensen que se estende do sul da China sobre o arquipélago japonês provoca longos períodos de chuvas contínuas.

Depois de meados de Julho massas de ar de alta pressão tornam-se predominante, e a estação das chuvas chega ao fim à medida que o Baiu Zensen vai se deslocando ao norte. Ventos vindos do Pacífico trazem consigo ares quentes e úmidos ao Japão, fazendo com que o país tenha um verão muito caloroso, e muitas vezes as temperaturas podem superar 30 graus Celsius.
 

Outono (Setembro, Outubro e Novembro)

Desde o fim do verão e durante o mês de setembro, o Japão é afetado por tufões, os quais se originam de grandes massas de ares tropicais de baixa pressão do norte do Pacífico, entre as latitudes de 5 e 20 graus. Os tufões são o mesmo fenômeno que os tornados e ciclones que se produzem em outras partes do mundo. Quando um tufão começa a se formar, ele se move gradualmente para o norte. Todos os anos, durante este período, 30 tufões se formam e uma média de 4 atingem o Japão, podendo causar grandes destruições.

Após os meados ou final de outubro, o Japão desfruta de um clima ameno, nem muito quente e nem muito frio. O país também aproveita muito o clima do começo de novembro. Muitas árvores se cobrem com brilhantes cores de outono, fazendo com que esta época do ano juntamente com o florescimento da primavera se torne uma estação muito bonita.
 

Inverno (Dezembro, Janeiro e Fevereiro)

No final de novembro, ventos gelados provenientes do continente começam a soprar sobre o Japão. Os ventos do noroeste recolhem a umidade do Mar do Japão e deixam muito desta umidade em forma de chuva ou neve na parte ocidental do país, a medida que são impedidos de seguir o seu caminho rumo ao leste pelas montanhas situadas no centro do país. A região de Hokuriku (Províncias de Fukui, Ishikawa, Toyama e Niigata), que estão voltadas para o Mar do Japão e são separadas das outras regiões por altas montanhas, são conhecidas pela grande precipitação de neve.

Em contraste, o lado voltado ao Oceano Pacífico desfruta de um céu claro durante o inverno. Em Tóquio, apesar do céu limpo, tem-se uma temperatura média de 5 graus, uma diferença de 25 graus em relação ao verão.

As ilhas da província de Okinawa na parte sudoeste têm um clima tropical sem muitas variações de temperatura nas estações. As temperaturas no inverno na província são bem mais moderadas quando comparadas com as outras regiões do país.


Voltar ao início da página

Política e Economia

Política

Após o final da Segunda Guerra Mundial em agosto de 1945, o Japão deu os primeiros passos para tornar-se uma nação democrática. A Constituição do Japão, que entrou em vigor em 1947, baseia-se em três princípios: soberania do povo, respeito aos direitos humanos fundamentais e renúncia à guerra. A Constituição também determina a independência dos três poderes públicos: o legislativo, o executivo e o judiciário.
 

Estrutura Governamental

A Dieta (poder legislativo) é composta pela Câmara dos Representantes, ou Câmara Baixa, com 480 membros e a Câmara dos Conselheiros ou Câmara Alta, com 242 membros. O poder executivo é exercido, através de sistema parlamentarista, pelo Gabinete. Sob a liderança do primeiro-ministro, funcionam doze ministérios. O Poder Judiciário foi outorgado ao Supremo Tribunal e a instâncias superiores, bem como às comarcas e a outros juizados de competência especifica.
 

Família Imperial

O Imperador é o símbolo do Estado e da unidade do povo, não possuindo poder de governar. Todos os atos do Imperador, em relação ao Estado, são recomendados e aprovados pelo Gabinete. O atual Imperador, Akihito, subiu ao trono em 1989, como o 125º da linhagem imperial. O Imperador Akihito e a Imperatriz Michiko foram abençoados com três filhos e quatro netos.
 

Relações Internacionais

O Japão está profundamente envolvido em diversas atividades em prol da paz, da prosperidade e da estabilidade mundial, Enquanto busca soluções para questões mundiais, a proteção ambiental, entre outras, o Japão exerce também um papel ativo para garantir a estabilidade em questões regionais, que poderiam causar impacto na comunidade internacional, fortalecendo os vínculos e a cooperação com as principais potências mundiais, com ênfase nas relações com os Estados Unidos.
 

Assitência Oficial ao Desenvolvimento (AOD).

  País Desembolso Líquido (US$ Bilhões) Participação (%)
1 Estados Unidos 28,665 24,0
2 França 12,431 10,4
3 Alemanha 11,982 10,0
4 Reino Unido 11,505 9,6
5 Japão 9,469 7,9
6 Espanha 6,571 5,5
7 Holanda 6,425 5,4
8 Suécia 4,546 3,8
9 Noruega 4,086 3,4
10 Canadá 4,013 3,4
  Outros 19,869 16,6
  
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

 Governos Locais e Centrais

No Japão há 47 províncias e um total de aproximadamente 1.800 cidades, municípios e vilas (Abril, 2007). Cada municipalidade tem sua própria assembléia. Os governadores das províncias e os prefeitos das cidades e municípios são escolhidos por voto popular. O sistema de governo local é regido por uma forma de democracia direta, mais do que a que rege o governo central.

 
Voltar ao início da página

 

Economia

A economia do pós-guerra do Japão expandiu-se notavelmente, mantendo uma taxa média de crescimento anual de 8% de 1953 a 1973, o que tornou o país a segunda maior economia mundial, após os Estados Unidos. Apesar de vários problemas decorrentes da poluição ambiental, durante o período do rápido crescimento dos anos 60, os esforços e o entusiasmo do governo, da indústria e dos cidadãos possibilitaram a superação dessas dificuldades. Atualmente, o país participa ativamente de questões ambientais em todo o mundo, valendo-se dessa experiência.
 

Estrutura Industrial

O período de rápido crescimento no Japão (da década de 50 à década de 80) foi principalmente impulsionado pelo setor secundário com atividades tais como a produção de aço, a construção naval, a fabricação de automóveis e de equipamentos elétricos. A valorização do iene, que teve início em 1985, fez com que muitos fabricantes japoneses deslocassem a produção para o exterior. 4,3% da população ativa está atualmente empregada em indústrias do setor primário (agricultura, etc), 27% no setor secundário e 67,7% em serviços e outras indústrias do setor terciário (2006).
 

Indústrias e Manufatura

Equipamentos elétricos e automóveis são os dois maiores produtos de exportação industrial. Segundo a Associação de Robôs do Japão, 332.720 robôs industriais (o equivalente a 32,6% do total mundial) estavam em operação no final de 2009. Pesquisas e esforços para o desenvolvimento da biologia, química, física e outros campos de tecnologia de ponta estão sendo realizados.
 

Agricultura e Pesca

O Japão depende das importações para o abastecimento de alimentos, já que sua taxa de autossuficiência é baixa e apenas 12,3% da sua área é utilizada para agropecuária (2010). Por ser uma ilha, seu povo desenvolveu predileção por frutos do mar. A nação ocupa a quinta posição no ranking mundial de captura de pescados (Ministério da Agricultura, Silvicultura e Pesca, 2008).
 

Comércio Exterior

Atualmente, as principais exportações incluem equipamentos e maquinários (equipamentos elétricos e de precisão, e automóveis). Os principais itens de importação são maquinários, derivados de petróleo e alimentos. Em 2010, a balança comercial japonesa atingiu superávit de US$ 194,8 bilhões e a reserva em moeda estrangeira encerrou o ano em US$ 1.061,4 bilhões (FMI, Ministério de Finanças).

 
Voltar ao início da página

Cultura, Esporte e Turismo

Cultura

Durante anos, os japoneses absorveram muitas ideias do exterior, inclusive tecnologia, costumes e outros elementos culturais, desenvolvendo uma cultura singular. O atual estilo de vida japonês resulta da mistura da cultura tradicional, com influências asiáticas, e da cultura moderna, refletindo influências ocidentais.
 

Cultura Tradicional - Cermônia do Chá e Ikebana

Essas formas de arte buscam a verdade através de princípios profundos e domínio de regras de boas maneiras e formalidades. A cerimônia do chá enfatiza o espírito de wabi, o desejo de simplicidade material e total liberdade espiritual. O anfitrião e seus convidados apreciam o momento de servir e receber uma xícara de chá, como algo especial e único em suas vidas. No ikebana, é feito um arranjo de flores da estação para criar um equilíbrio estético entre as flores, o vaso e o ambiente.
 

Cultura Tradicional - Kabuki, Noh e Kyogen

O kabuki, uma das principais artes cênicas tradicionais do Japão, originou-se de peças folclóricas do século XVI. Todos os papéis são representados por homens exageradamente maquiados, trajando roupas grandiosas num cenário elaborado. O noh apresenta atores mascarados e vestidos luxuosamente, e é apresentado com o kyogen, intervalos cômicos entre os atos de noh. Ambos são considerados como “obras-primas” pela UNESCO.
 

Cultura Moderna - Cultura Pop

J-pop ou música popular japonesa, e enka, as baladas populares japonesas, são o gênero mais popular de música japonesa. O karaoke, a ideia de um espaço para cantores amadores, se espalhou por todo o mundo, tal como as animações e histórias em quadrinhos japonesas, familiares à geração mais jovem.  Entre as obras mais populares estão: o Astro Boy, Doraemon, Pokemon e Tales from Earthsea.
 

Cultura Moderna - Literatura

Dois japoneses receberam o Prêmio Nobel de literatura: Yasunari Kawabata e Kenzaburo Oe. Livros de jovens escritores, como Haruki Murakami e Banana Yoshimoto, são traduzidos para vários idiomas e reconhecidos internacionalmente.
 

Voltar ao início da página
 

Esporte

São considerados esportes populares no Japão o judô, o kendo, o karate e outras artes marciais tradicionais, além de esportes originários do exterior como o beisebol e o futebol. No verão, o surfe e o iatismo são bastante populares, assim como o esqui e o snowboard, no inverno. Além disso, o beisebol profissional, o sumo, o golfe profissional e alguns outros esportes também têm bastante público.
 

Sumo

O sumo é o esporte nacional do Japão e tem uma história de mais de 1.000 anos. Os lutadores penteiam-se como os samurais, e nos dão uma noção da aparência dos japoneses, no passado. Lutadores estrangeiros, recentemente, ganharam espaço nessa modalidade de luta.
 

Beisebol

O beisebol é um dos esportes mais populares e com mais público, no Japão. Há doze times profissionais: seis na Liga Central e seis na Liga do Pacífico. Cada vez mais, os jogadores optam por uma carreira de beisebol na liga profissional americana, seguindo os passos de Ichiro e Matsui. Ligas juvenis de beisebol também possuem fãs entusiasmados.
 

Futebol

O número de fãs de futebol vem crescendo desde o estabelecimento da Liga Profissional de Futebol do Japão ou J.League, em 1992. E, o fato do Japão e a Coréia terem sediado os jogos da Copa do Mundo, da FIFA, em 2002, intensificou esse interesse.
 

Budo (Artes Marciais)

Muitos japoneses se dedicam a artes marciais como o judô, o kendo, o karate e o aikido. O judô, que significa “a maneira gentil” pela qual os oponentes são dominados, usando sua força, ganhou popularidade internacional, e firmou-se como uma modalidade olímpica oficial. Do mesmo modo, o kendo, que utiliza espadas de bambu e armaduras para proteção, tem atraído aficionados no exterior, nos últimos anos.
 

Voltar ao início da página
 

Turismo

O Japão é um arquipélago, composto de quatro ilhas principais: Hokkaido, Honshu, Shikoku e Kyushu, além de milhares de ilhotas. Coberto por florestas em sua maior parte, o país foi abençoado com uma bela paisagem nas quatro estações e uma herança cultural rica e cultivada pela história e pela tradição.
 

1. Hokkaido

SHIRETOKO (Patrimônio Natural da Humanidade)
Shiretoko está localizada na zona temperada, dentro da área sazonal de gelo marinho, na mais baixa latitude. O gelo marinho, bem como as florestas intactas e os rios, originam os organismos vivos em Shiretoko, apoiando seus ecossistemas integrados.
 
FESTIVAL DE NEVE DE SAPPORO
Este festival, realizado há mais de meio século, anualmente atrai mais de dois milhões de visitantes do Japão e do exterior. Em fevereiro estátuas de neve e esculturas de gelo de vários tamanhos e formas ficam expostas no centro de Sapporo nos sete dias do festival.
 

2. Região Tohoku

FESTIVAL DE NEBUTA (NEPUTA)
O festival de Nebuta ocorre anualmente no verão, nas cidades de Aomori e Hirosaki. O festival apresenta uma parada com grandes lanternas em forma de animais e figuras históricas. Centenas de dançarinos e dançarinas, conhecidos como haneto, dançam freneticamente pela rua em meio a gritos e urros.
 
MONTANHAS SHIRAKAMI (Patrimônio Natural da Humanidade)
Nessa área montanhosa, fronteira entre as províncias de Akita e Aomori, está localizada a maior floresta virgem de faias do mundo.
 

3. Região Kanto

SANTUÁRIOS E TEMPLOS NIKKO (Patrimônio Cultural da Humanidade)
O Santuário Toshogu é o mausoléu de Ieyasu Tokugawa, que uniu o país no início do século XVII e fundou o Xogunato Tokugawa (1603-1867). Pavilhões de santuários esplendidamente decorados com esculturas ornadas são rodeados pela floresta.
 
TÓQUIO
Tóquio é a capital e o centro político-econômico do Japão. Ela reúne os recursos de um moderno centro urbano, com suas ruas repletas de arranha-céus, e os elementos tradicionais que refletem 400 anos de história. Seu antigo nome era Edo.
 

4. Região Chubu

MONTE FUJI
A mais imponente montanha do Japão, o Monte Fuji, com 3.776 metros de altura, é adornado por inúmeros lagos e bosques. Possui uma bela forma cônica, esculturada por camadas de lavas vulcânicas, com uma longa base em declive. Há mais de trezentos anos, o vulcão permanece inativo. O povo japonês elegeu o Monte Fuji, desde tempos antigos, como uma montanha sagrada.
 
VILAS HISTÓRICAS DE SHIRAKAWAGO E GOKAYAMA (Patrimônio Cultural da Humanidade)
Muitos moradores das aldeias históricas de Shirakawa, na província de Gifu, e de Kamitama e Taira, na província de Toyoma, ainda vivem em fazendas e casas espaçosas com telhados de sapé em declive (estilo gassho), onde mantém um estilo de vida tradicional, em um clima severo marcado por pesadas nevascas.
 

5. Região Kinki

MONUMENTOS HISTÓRICOS DA ANTIGA KYOTO - Cidades de Kyoto, Uji e Otsu (Patrimônio Cultural da Humanidade)
Kyoto foi o centro da corte imperial, do século VIII até o final do século XIX. É uma área rica em santuários, templos, jardins e ruas que representam épocas antigas e pode ser considerado o berço da cultura japonesa.
 
MONUMENTOS HISTÓRICOS DA ANTIGA NARA (Patrimônio Cultural da Humanidade)
Nara era a capital do Japão, no século VIII. Os monumentos, templos e santuários históricos refletem a era da cultura budista (como o Todai-ji). O complexo de Horyu-ji, nos arredores da cidade de Nara, é formado por 40 templos, dos séculos VII e VIII. E sua estrutura de madeira é considerada a mais antiga do mundo.
 
OSAKA
Osaka inicialmente desenvolveu-se como uma cidade comercial. Hoje, juntamente com Tóquio, é um dos mais importantes centros comerciais do Japão. É famosa por suas “808 pontes”, numerosos rios e canais, que cruzam os bairros urbanos.
 
AS MONTANHAS KII (Patrimônio Cultural da Humanidade)
Yoshino e Omine, Kumano Sanzan e Koyasan são três locais sagrados nessas montanhas, unidas por rotas de romaria até as antigas capitais Nara e Kyoto, refletindo a fusão entre o Shinto, com suas raízes nas antigas tradições de adoração da natureza, e o Budismo.
 
CASTELO HIMEJI (Patrimônio Cultural da Humanidade)
O Castelo Himeji é um notável exemplo da arquitetura japonesa de castelos do século XVII, equipado com um sofisticado sistema de defesa. É também conhecido como Shirasagi (Castelo da Garça Branca). Sua silhueta perfeitamente delineada e as suas paredes brancas de estuque, lembram uma garça branca prestes a voar.
 

6. Shikoku

PONTE SETO OHASHI
A ponte Seto Ohashi que se estende entre as ilhas de Honshu e Shikoku, através do Mar Setonaikai, conectando as províncias de Okayama e Kagawa, é a ponte mais longa do mundo, com estradas e trilhos ferroviários. A ponte se divide em seis segmentos que totalizam 9,4 quilômetros de distância.
 

7 Região Chugoku

MEMORIAL DA PAZ EM HIROSHIMA - Domo Genbaku (Patrimônio Cultural da Humanidade)
Em seis de agosto de 1945, foi lançada a primeira bomba atômica na história da humanidade em Hiroshima. O Domo Genbaku, próximo ao alvo da bomba, é uma ruína que permanece como testemunho da terrível devastação causada por esse armamento.
 
SANTUÁRIO XINTOÍSTA DE ITSUKUSHIMA (Patrimônio Cultural da Humanidade)
Esse santuário, construído em uma pequena ilha de Itsukushima, data do século XIII. Amplamente reconhecido como um dos três lugares mais pitorescos do Japão forma uma bela imagem de unidade com o meio ambiente, ente o mar e as montanhas.
 

8. Kyushu

MONTE ASO
O Monte Aso é um vulcão ativo localizado quase no centro de Kyushu. A caldeira, formada pela atividade vulcânica ao longo dos últimos 30.000 anos, mede 20 quilômetros de diâmetro. A área é rica em fontes termais, nascentes e gramados.
 
YAKUSHIMA (Patrimônio Natural da Humanidade)
Essa ilha montanhosa possui vários picos com mais de 1.000 metros acima do nível do mar, fornecendo assim um lar para a vegetação dos climas subtropical ao subártico. A vegetação mais comum são os cedros gigantes de Yakushima com no mínimo 1.000 anos de idade.
 

9. Okinawa

LOCAIS DE GUSUKU E PROPRIEDADES DO REINO DE RYUKYU (Patrimônio Cultural da Humanidade)
Gusuku, que significa “castelo”, é uma palavra da época do Reino Ryukyu, que floresceu entre os séculos XII e XVII, na atual província de Okinawa. As ruínas dos castelos gusuku, que se espalham pelas ilhas, são remanescentes da cultura única de Ryukyuan, formada pelo comércio com o Japão, a China e o Sudeste Asiático.
 

Voltar ao início da página

Vida

Vida Cotidiana

Após a Segunda Guerra Mundial, a vida no Japão mudou significativamente, tornando-se mais ocidentalizada. Há uma mistura de elementos japoneses e ocidentais na alimentação: pode-se comer tempura num dia, e no outro, hambúrguer ou macarrão chinês.
 

Habitação

A maioria das antigas residências do Japão, construídas antes da guerra, era de madeira coberta com telhados e tatames no chão, em todos os aposentos. De modo geral, as estruturas residenciais atuais têm cômodos em estilo ocidental com pisos de madeira e, em áreas urbanas muitas famílias vivem em prédios de vários andares.
 

Alimentação

O arroz é a base da dieta japonesa e geralmente come-se com o hashi. Alguns pratos japoneses famosos são sushi, tempura e soba. Como em outros aspectos do cotidiano, a culinária japonesa também foi influenciada por outros países da Ásia, Europa e América do Norte e atualmente oferece uma ampla variedade de iguarias na dieta diária.
 

Educação

O ensino fundamental obrigatório japonês é de nove anos, dividida em duas etapas: a primeira de seis e a segunda, de três anos. De acordo com dados oficiais de 2009, 97,9% dos japoneses estavam matriculados no ensino médio, que tem duração de três anos, e 53,9% no superior. O ano letivo inicia em abril.
 

Atividades Sazonais de Lazer

No Japão, as quatro estações do ano são claramente distintas e há muitas atividades de lazer em cada uma delas. Na primavera, ocorrem festas sob as cerejeiras floridas e no verão, os festivais e queimas de fogos de artifício. Pessoas dançam bon-odori, vestidas de yukata (um tipo de quimono informal), saboreando diversos petiscos em barracas ao ar livre. No outono, caminha-se pelas montanhas para ver as folhas multicoloridas e no inverno, há o alvoroço das atividades em estações de esqui, no circuito de neve do país.
 

Feriados Nacionais

1º de Janeiro Ano Novo (confraternização universal)
2ª segunda-feira de janeiro Dia da chegada à maioridade
11 de Fevereiro Dia da Fundação Nacional
Próximo à 21 de Março Equinócio da Primavera
29 de Abril Dia do Showa (dia de homangem ao Imperador Showa)
3 de Maio Dia memorial da Constituição
4 de Maio Dia do Verde
5 de Maio Dia das Crianças
3ª segunda-feria de Julho Dia do Mar
3ª segunda-feira de Setembro Dia do respeito os idosos
Próximo a 23 de Setembro Equinócio do Outono
2ª segunda-feira de Outubro Dia do Esporte
3 de Novembro Dia da Cultura
23 de Novembro Dia de graça oa trabalho
23 de Dezembro Aniversário de Imperador
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
*No Japão o natal também se comemora no dia 25 de Dezembro, porém não é considerado um feriado nacional.
 

Voltar ao início da página
 

Vida e Etiqueta Básica

O que fazer quando alguém se curva para você?

No Japão, curvar-se é uma forma de cumprimento. Quando alguém se curva, a norma geral é curvar-se em retribuição. Se quem o cumprimentar tiver um status superior, a regra é se curvar ainda mais e por um tempo maior. Esse gesto também pode ser usado como uma demonstração de apreço e pedido de desculpas.
 

Como agir ao visitar um amigo?

Saudações
Se a visita for pela manhã, cumprimente-o dizendo: OHAYO GOZAI MASU.
A expressão adequada se for à tarde, é: KONNICHI WA, e, à noite é: KOMBAN WA.
O anfitrião responderá OHAIRI KUDASAI, que significa “entre, por favor”, para convidá-lo a entrar. Ao entrar pela porta da frente, diga OJAMA SHIMASU, que significa “com licença, vou entrar em sua casa”.
 
Antes de entrar
Ao entrar em uma casa japonesa, sempre tire os sapatos.
 
Intervalos para o chá
Em muitas casas japonesas, se oferece chá verde, café ou chá preto, de acordo com a preferência do convidado. Os japoneses não tomam chá verde com açúcar ou com leite. Muitas vezes, o chá verde é acompanhado de um doce japonês.

À mesa
Antes da refeição cada pessoa diz: ITADAKIMASU, e após, GOCHISOUSAMA DESHITA. Ambas as frases expressam apreciação pela comida. Em residências particulares, geralmente são servidos vários pratos para cada um. Porções individuais são colocadas para os convidados nos seus próprios pratos, em uma disposição definida. A comida também pode ser servida em pratos maiores para serem partilhados com outros que estiverem à mesa.

O uso de hashi
O costume em geral é segurar a tigela de arroz com a sua mão esquerda e utilizar a mão direita para pegar o alimento com o hashi.
 
Forma apropriada de tomar bebidas alcoólicas
Normalmente, as pessoas servem umas às outras, não sendo costume servir o próprio copo. Os integrantes do grupo observam os copos dos demais, e servem mais à medida que se esvaziam. Os japoneses não bebem apenas saquê, mas também apreciam cerveja, vinhos e uísque.

Jantando fora
Alguns restaurantes expõem nas vitrines reproduções, feitas de cera, dos pratos que servem. Pode-se escolher a partir dessas imitações ou de fotos do cardápio. Não é necessário dar gorjeta no Japão.

Algumas expressões japonesas úteis
Muito prazer: HAJIMEMASHITE
Obrigado: ARIGATOU
Adeus: SAYONARA
 

Voltar ao início da página
 

Trens Shinkansen (Trens Bala)

O Shinkansen, trem-bala, trafega a uma velocidade acima de 200 km/h, podendo chegar a 300 km/h. Foi inaugurado em 1964, ligando Tóquio a Osaka. Atualmente, o sistema de trens conecta Tóquio à maior parte das cidades principais do país, e é muito utilizado tanto para viagens de negócios, quanto para turismo.

Voltar ao início da página