Exposição Itinerante "VARIAÇÃO & AUTONOMIA - As Gravuras de Artistas Japoneses Contemporâneos"

  • Artista:ONOSATO Toshinobu
  • Artista: HIKOSAKA Naoyoshi
Promovida pela Fundação Japão São Paulo, pelo Consulado Geral do Japão em Curitiba, em parceria com o Museu Paranaense, a exposição reúne o trabalho de dez artistas que exploram uma ampla gama de possibilidades por meio de gravuras e que expandiram o escopo da expressão na arte contemporânea, empregando, na década de 1970, a gravura como meio de expressão.
 

Sobre a Exposição

"Esta exibição não é constituida de obras de artistas considerados criadores ou desenvolvedores únicos ou específicos na história da produção de gravuras contemporâneas japonesas, mas por artistas que tendem a ser vistos como agentes de suporte desse processo. As razões para esse focosão, em primeiro lugar, lançar luz sobre o fato de que uma nova área foi desenvolvida por meio das gravuras contemporâneas japonesas, tanto pela variação da pintura quanto pela forma autônoma como ocorreu esta transição. Estas obras, portanto, ajudaram a estabelecer o gênero das gravuras japonesas contemporâneas, ao mesmo tempo que incorporaram a elas a devida envergadura." Curador Kyoji Takizawa (Museu Municipal de Artes Gráficas de Machida)
 

Exposição Itinerante "VARIAÇÃO & AUTONOMIA - As Gravuras de Artistas Japoneses Contemporâneos"

Data: 10 de agosto de 2018 (sexta-feira) à 2 de setembro de 2018 (domingo)
Local: Museu Paranaense
           (Rua Kellers, 289 - Alto São Francisto, Curitiba - PR)
Horário de visitação: de terça a sexta das 9h às 18h, aos sábados, domingos e feriados das 10h às 16h

 

Sobre os fotógrafos

Artista: MURAI Masanari

Artista: KUSAMA Yayoi

Masanari Murai (1905-1999)

Nascido na província de Gifu, formou-se pelo Bunka Gakuin (Instituto de Cultura) em 1928, para, em seguida, mudar-se para a França. Até retornar ao Japão, em 1932, viajou exaustivamente pela Europa e produziu pinturas. Antes da Segunda Guerra Mundial, enquanto vivia em Tóquio, Murai se tornou um artista abstrato pioneirono Japão. Após a guerra, criou pinturas abstratas profundamente humanistas, empregando linhas, planos e cores para expressar pessoas. Murai começou a se dedicar à criação de gravuras na década de 1950.
 

Toshinobu Onosato (1912-1986)

Natural da província de Nagano, se alistou no exército após a eclosão da Guerra do Pacífico. Posteriormente, foi enviado a um campo de prisioneiros na Sibéria. Antes da Segunda Guerra Mundial, as pinturas de Onosato eram marcadas por um estilo construtivista, com uma tendência para a abstração. Depois fa guerra, se concentrou exclusivamente em pinturas geométricas, tendo círculos como tema. No final da década de 1950, Onosato começou a produzir litografias. Na década de 1960, se transferiu para a serigrafia, criando inpumeras gravuras.
 

Yasukazu Tabuchi (1921-2009)

Nascido na província de Fukuoka, Tabuchi começou a pintar enquanto estudava história da arte na Universidade de Tóquio. Em 1951, se mudou para a França para frequentar a Universidade de Sorbonne, em Paris. Em 1953, Tabuchi iniciou oficialmente sua carreira como um artista, atuando em várias frentes criativas. Considerando as origens culturais subjacentes entre a Europa e o Oriente, criou pinturas a óleo plenas, com um ar erótico e cores vibrantes. Ao mesmo tempo, Tabuchi produziu e publicou coleções de litogravuras, calcogravuras e gravuras em estilo japonês, alguma delas no formato de livros e poesia.
 

Yayoi Kusama (1929-)

Kusama nasceu na província de Nagano, mas somente iniciou sua carreira de artista após se mudar para Nova Iorque, em 1957. Na década de 1960, ela exibiu esculturas leves com base em temas como sexo e alimentos, enquanto organizava happenings. De volta ao Japão, em 1973, Kusama começou a publicar novelas paralelamente à criação de arte. Em 1979, começou a expressar imagens que se proliferam e se dividem infinitamente, vinculadas e difusa, em inúmeras calcogravuras, serigrafias e litografias.
 

Natsuyuki Nakanishi (1935-2016)

Nakanishi nasceu na capital japonesa, Tóquio, e se formou pelo departamento de pintura ocidental da Universidade de Artes de Tóquio, em 1958. Na década de 1960, organizou vários eventos em ruas e galerias, levantando várias questões sobre a sociedade com a arte vanguardista. Devido a sua amizade com o dançarino de butoh Tatsuji Hijikata, Nakanishi também esteve envolvido na criação de cenários de palco e outros adereços para performances de butoh. Começou a se concentrar na pintura no final dos ano s1960, e em 1970 criou pinturas a óleo empregando branco, púrpura e verde-amarelado como tons-chave. Também produziu serigrafias e calcografias.
 

Artista: NAKAZATO Hitoshi

Artista: TATSUNO Toeko

Hitoshi Nakazato (1936-2010)

Nascido em Tóquio, se formou pela Universidade de Arte de Tama em 1960. Depois disso, Nakazato se matriculou em programas de arte de pós-graduação da Universidade de Wisconsin e da Universidade da Pensilvânia, nos Estados Unidos, de 1962 a 1968. Enquanto viveu em Nova Iorque, produziu pinturas e gravuras, tendo exibidos suas obras nos Estados Unidos e Japão. Limitando-se a elementos como linhas, formas geométricas e cores, produziu obras que exploraram a criação de imagens e ilusões, e a relação entre pinturas e criação de gravuras.
 

Tomoharu Murakami (1938-)

Nascido na prinvíncia de Fukushima, Murakami formou-se pelo departamento de pintura japonesa da Universidade de Artes de Tóquio, em 1961. Em seguida, mudou para a pintura a óleo. Após ver as obras expressionistas abstratas nos Estados Unidos, em 1964, realizou uma mudança drástica nessa direção. Em 1979, se tornou católico e começou a criar gravuras como forma de oração a Deus. Além das calcogravuras, Murakami produz obras entalhando blocos de pedra, jogando tinta sobre eles e repetidamente criando gravuras com os blocos.
 

Naoyoshi Hikosaka (1946-)

Natural de Tóquio, abandonou a Universidade de Arte de Tama, em 1970, para se matricular na pós-graduação da Universidade da Pensilvânia, participando do programa de estudos no exterior da Agência para Assuntos Culturais. De volta a Tóquio, exibiu suas obras em várias exposições individuais. Hikosaka criou "pinturas de madeira", nas quais destacou a relação entre pintura e escultura, aplicando uniformemente tinta acrílica a placas de madeira. Produziu inúmeras gravuras por meio de litografia, serigrafia, calcografia e gravura japonesa.
 

Kosai Hori (1947-)

Proveniente da província de Toyama, Hori abandonou a Universidade de Arte de Tama, em 1970. Enquanto vivia em Tóquio, exibiu seu trabalho em exibições individuais e participou em mostras coletivas no Japão e no exterior, incluindo as Bienais de Paris e Veneza. Questionando continuamente a natureza da pintura, Hori produz quadros que combinam acrílico, bastões de óleo, pigmentos minerais naturais e tinta sumi. Ao mesmo tempo, também cria obras de serigrafia.
 

Toeko Tatsuno (1950-2014)

Nascida na província de Nagano, Tatsuno concluiu pós-graduação na Universidade de Artes de Tóquio, em 1974. Enquanto estudava criação de gravuras, começou a produzir trabalhos em serigrafia no estilo da arte minimalista. Vivendo em Tóquio, continuou suas atividades criativas com foco em pintura a óleo, exibindo seu trabalho tanto em exposições individuais como coletivas. Usando formas geométricas e cores abundantes, expressa formas que são encontradas usualmente na vida diária. Tatsuno produziu pinturas e gravuras abstratas com base em expressões espaciais singulares.
 
fonte: Fundação Japão São Paulo
 

Demais Informações

Consulado Geral do Japão em Curitiba
Setor Cultural

e-mail: cultura@c1.mofa.go.jp
tel: 41-3322-4919